Nos últimos anos, praticar yoga passou a ser a escolha de pessoas interessadas em experimentar modalidades de atividade física menos convencionais.

O número de adeptos da yoga cresceu, assim como o conhecimento sobre os benefícios dessa tradição de origem milenar.

Porém, quem quer praticar yoga precisa saber, também, quais são as contraindicações e os possíveis riscos que essa atividade oferece. Isso é o que vamos mostrar no artigo de hoje. Confira!

Conheça as origens da yoga

A yoga é uma filosofia de vida originada há mais de 5 mil anos na região onde atualmente fica a Índia.

A palavra yoga, de origem sânscrita significa “união/ controle”. Assim, além das técnicas destinadas aos exercícios físicos e respiratórios, a yoga é baseada, também, em técnicas de relaxamento e meditação.

Atualmente, existe cerca de uma centena de correntes da yoga, que podem ser praticadas a partir dos 4 anos de idade e até a velhice.

Cada uma delas é baseada em atividades que buscam disciplinar o corpo e a mente, promovendo maior conhecimento sobre si mesmo e sobre a realidade que cerca cada indivíduo.

A modalidade de yoga mais conhecida e praticada no Brasil é a hatha yoga. Ela é baseada em movimentos corporais e técnicas respiratórias, que promovem o fortalecimento muscular e consciência corporal, além dos exercícios meditativos.

Conforme vai sendo praticada com determinada frequência (ao menos duas vezes por semana), a yoga oferece benefícios significativos para vários aspectos da saúde de seus praticantes.

Entenda os ganhos para a saúde do corpo e da mente

Assim como outras atividades físicas, a yoga melhora a saúde de maneira geral e ajuda na prevenção de doenças como a diabetes e a depressão.

Além disso, praticar yoga promove alguns benefícios específicos, dentre eles:

  • fortalecimento muscular e aumento da flexibilidade corporal;
  • melhoria da capacidade respiratória e da oxigenação de tecidos e órgãos;
  • diminuição dos níveis de estresse e ansiedade;
  • desenvolvimento de uma visão positiva da vida e
  • maior conhecimento sobre as próprias emoções.

Assim, os benefícios da yoga contemplam tanto a saúde física quanto a saúde mental e emocional. Para potencializar tais ganhos, é fundamental manter bons hábitos alimentares.

Enquanto filosofia de vida, a yoga propõe o vegetarianismo. Porém, a escolha por consumir alimentos de origem animal não impede a adesão à atividade.

Entretanto, certas condições de saúde são um limite restritivo para quem pretende praticar yoga, como você verá a seguir.

Saiba quando é contraindicado praticar yoga

De acordo com orientações médicas, quem tem hipertensão, glaucoma e doenças cardiovasculares não deve praticar yoga.

Uma vez que algumas posições exigem a sustentação do peso corporal com a cabeça posicionada para baixo, pode haver sobrecarga na circulação sanguínea e, consequentemente, agravamento de sintomas prejudiciais no caso dessas doenças.

Praticar yoga no período menstrual também pode ser contraindicado, devido ao incômodo que algumas posições e técnicas de respiração podem causar para as mulheres.

Além disso, quem quer emagrecer deve optar por atividades como corrida ou ciclismo, pois o gasto calórico durante as sessões de yoga é baixo comparado a exercícios de maior intensidade e movimentação.

Conhecendo os benefícios e as contraindicações de cada atividade física, basta fazer sua escolha de acordo com seus os objetivos e encontrar as companhias certas!

Convide seus amigos para praticar yoga!

Como você viu, a yoga é uma filosofia milenar que promove a integração da saúde física, mental e emocional, ajudando na prevenção de doenças e melhorando a consciência de si mesmo e do mundo ao redor.

Para que esses benefícios aconteçam, é fundamental manter bons hábitos alimentares e respeitar as contraindicações relacionadas à prática dessa atividade física.

Agora que você já conhece as vantagens e desvantagens de praticar yoga, convide seus amigos para uma aula experimental compartilhando nosso artigo nas suas redes sociais!

Share: