O Pilates é uma prática bastante conhecida no mundo todo por conta de seus inúmeros benefícios para a saúde, além de deixar o corpo mais bonito. Ele pode ser usado tanto de maneira preventiva como no tratamento de doenças articulares, musculares e esqueléticas.

É bastante recomendado também quando o objetivo é fazer exercícios físicos. Quer saber tudo sobre Pilates? Então continue lendo este post e fique por dentro de todas as vantagens do método!

Como surgiu?

O termo teve origem com seu criador, Joseph Hubertus Pilates, um alemão que nasceu em 1880. Ele sempre foi uma criança muito frágil e doente. Não brincava com os amigos, pois sofria de asma, raquitismo e febre reumática.

Já que não podia se divertir como as outras crianças da sua idade, Joseph começou a passar o tempo inventando movimentos e prestando atenção neles, usando toda a sua criatividade. Aos 14 anos, se tornou tão saudável que era constantemente convidado para ser modelo em cartazes de anatomia.

O criador do método acreditava na contrologia, ou seja, no poder que temos de controlar nossos movimentos usando a força de nossa mente. Com o passar dos anos, ele criou 34 movimentos — todos no solo, com baixo impacto, poucas repetições e nenhuma contraindicação.

Quais são os tipos de Pilates?

Essencialmente, existem 2 tipos de Pilates (o solo, também chamado de Mat Pilates, e o praticado em aparelhos). Vejamos, agora, quais são as características de cada um deles:

Solo

Esse tipo de Pilates é a essência do método, já que foi no solo que Joseph desenvolveu toda a técnica. Ele pode ser um pouco mais difícil de executar, pois exige maior equilíbrio e força muscular para se manter na posição adequada.

Aqui, para praticar, é necessário usar apenas o peso do próprio corpo. Ele será a carga que você terá de mover para fazer os músculos trabalharem a seu favor.

Essa força é desenvolvida, principalmente, nos músculos mais profundos da região do core (nosso centro de equilíbrio, que fica na altura do umbigo). Pilates costumava chamar essa área de Power House, ou Casa da Força, em bom português.

A técnica é indicada para pessoas que já praticam alguma atividade física há algum tempo. Ela tem como princípios a respiração, a concentração, a centralização, o controle e a precisão de fluidez.

Com aparelhos

Os equipamentos utilizados em estúdios e clínicas para a prática do Pilates foram criados durante 1ª Guerra Mundial. Os exercícios desenvolvidos por Joseph se tornaram uma excelente maneira de reabilitar milhares de soldados que ficaram com os movimentos comprometidos.

O problema é que eles só podiam realizar os exercícios na cama. Então, por conta dessa restrição, os movimentos começaram a ser adaptados ao local, com o uso de alguns aparelhos e acessórios como molas e barras, que ajudam na realização da técnica.

Os aparelhos possuem o mesmo objetivo: ajudar a fazer as posições, deixando-as mais simples e fáceis de serem executadas. Portanto, esse tipo de Pilates costuma ser indicado para os iniciantes, pois é uma forma mais leve de praticar os exercícios.

Os mesmos movimentos feitos no solo são adaptados, e a resistência é obtida a partir de um sistema de molas que vai da mais leve até a mais pesada. Nos aparelhos, o profissional pode elevar o grau de dificuldade dos exercícios e, assim, fazer o corpo trabalhar mais!

Quais as vantagens da prática?

Ajuda no tratamento de doenças

Muitos pensam que o Pilates é apenas uma forma de praticar exercícios. Mas o método vai além disso, como o próprio Joseph mostrou: ele conseguiu se curar de diversas doenças a partir dessa técnica.

Trata-se de uma ótima opção para tratar dores na coluna, problemas articulares como artrite ou artrose e conseguir melhorar desvios na coluna, como a escoliose, entre tantas outras patologias que existem.

Fortalece a musculatura

Uma das coisas de que o nosso músculo mais precisa é de fortalecimento. Com as facilidades do mundo moderno, no qual vamos de um lugar para o outro sentados e passamos parte do dia também nessa posição, a nossa saúde fica prejudicada.

Como resultado, temos atrofias musculares e encurtamentos. Isso, por sua vez, acaba causando dores, que muitas vezes são crônicas.

Melhora a coordenação motora e a propriocepção

Os movimentos do Pilates exigem bastante coordenação motora. Em muitos deles, é necessário usar várias partes do corpo ao mesmo tempo. Isso traz benefícios não só para a saúde do corpo como um todo, mas também para as nossas funções cognitivas, melhorando o funcionamento do cérebro.

A propriocepção — capacidade da mente identificar onde está cada parte do organismo — também é aperfeiçoada. Assim, há uma melhora do sistema cognitivo, o que faz do Pilates um ótimo método para idosos.

Há contraindicações?

Sim. A prática não pode ser adotada, por exemplo, por mulheres que estão nos primeiros 3 meses de gestação. Como os exercícios usam, a todo o momento, os músculos abdominais, não são indicados nesse caso.

Cardiopatas e hipertensos também são grupos restritos e precisam de autorização médica para praticar as atividades. Como se trata de um exercício que exige certa resistência cardiorrespiratória, é necessário um pouco de cuidado.

Um problema do Pilates (que não é uma contraindicação, mas pode dificultar sua prática) é a questão financeira. Uma sessão, com duração de uma hora, pode variar de R$30 até R$50, em média. Esse preço costuma ser “salgado” para várias pessoas.

Qual opção é melhor: Pilates ou musculação?

Quando falamos de exercícios físicos, não existe essa história de melhor ou pior. Tudo depende do seu objetivo. Se for para ganhar hipertrofia muscular, sem dúvidas a musculação é a mais indicada.

Mas se o seu foco é um corpo definido, com músculos pouco desenvolvidos, tratamento ou a prevenção de doenças, o Pilates é a melhor opção.

Uma atividade, porém, não precisa excluir a outra. Aliás, a união das duas modalidades é essencial para um bom desempenho nos treinos. Com os músculos fortalecidos, reduz-se o risco de lesões e é possível aumentar a carga durante o movimento.

Gostou de descobrir tudo sobre Pilates? Se quiser saber mais sobre o mundo dos exercícios físicos, assine a nossa newsletter!

Share: